Geral

Por que mesmo com o desemprego em alta, as empresas têm dificuldade em arranjar bons funcionários?

Publicado por Veja Notícias no dia 16/06/2021 as 22:35

Segundo dados mais recentes divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no final do mês de abril, a taxa de desemprego no Brasil é atualmente de 14,4%.

Esse número é bastante preocupante, principalmente se observarmos que ele vem crescendo ao longo dos anos e teve um aumento expressivo devido à pandemia do novo coronavírus.

Além disso, outro fator interessante a ser notado é a dificuldade que as empresas enfrentam para preencher as vagas remanescentes.

Assim, é válido questionar esse desequilíbrio entre número de desempregados e dificuldade por parte das companhias em encontrar bons funcionários.

Inegavelmente, a resposta para esse problema pode ser encontrada em uma gama de fatores, incluindo tanto a deficiência na qualificação, quanto a falta de employee value proposition (EVP) por parte da empresa.

Dessa forma, para compreender o movimento aparentemente antagônico do mercado de trabalho, precisamos primeiro conhecer outros aspectos que influenciam direta e indiretamente no assunto.

Um dos tópicos a ser discutido é justamente a escassez de profissionais qualificados no Brasil e no mundo. Confira a seguir o material que preparamos e descubra quais são as maiores dificuldades das companhias no momento da contratação.

Desafio para o mercado

Não só no Brasil como no mundo todo, a falta de talentos se tornou um fenômeno que atinge mais da metade das empresas globais. De acordo com relatório realizado pelo ManpowerGroup, os números obtidos demonstram que esse é um desafio bem comum nos dias atuais.

Ainda com base no relatório, as empresas de médio porte são as que mais enfrentam dificuldades de encontrar trabalhadores qualificados para preencher as vagas existentes.

Como é possível notar, a falta de profissionais capacitados é um problema que atinge a todos, mas você sabe o porquê?

Demanda por maior capacitação

A crise que acomete os mais diversos setores do mercado de trabalho nos últimos anos também pode ser explicada através de uma breve análise da modernização ocorrida recentemente.

Nas últimas duas décadas, o avanço da tecnologia foi tamanho que transformou totalmente as relações de trabalho e a expectativa por parte das empresas em relação aos colaboradores procurados.

Atualmente, o que é mais valorizado no mercado são novas e mais específicas habilidades sobre os mais diversos temas, o que gera um déficit de novos profissionais que estejam preparados para lidar com essas novas tecnologias.

Já que diferentemente do que muitos acreditavam, o desenvolvimento tecnológico não reduziu os postos de emprego. O que ocorreu foi uma mudança na relação entre colaborador, tecnologia e empresa.

Assim, o cenário que vemos hoje nada mais é que um momento de adaptação onde os trabalhadores precisam se qualificar de acordo com as tecnologias vigentes para conseguirem uma vaga.

Fim das funções repetitivas

Indo contra o senso comum, a inserção de diferentes tecnologias e maior importância da mesma no mercado de trabalho não veio para substituir mão de obra e sim para somar aos trabalhadores.

Assim, o que vem ocorrendo de maneira sistemática nas empresas ao redor do mundo é a substituição de funções repetitivas por cargos que demandam maior qualificação profissional.

Isso significa dizer que as companhias estão implementando diferentes tecnologias em dois momentos. O primeiro é referente às posições de baixa qualificação e atividades repetitivas, que podem ser facilmente substituídas por máquinas. O segundo momento é que está causando toda essa defasagem.

A introdução da tecnologia em cargos que demandam maiores qualificações profissionais acabou por elevar esse patamar. Ou seja, uma vaga que antes demandava apenas o conhecimento sobre um determinado assunto, hoje em dia requer o conhecimento teórico mais a expertise tecnológica como padrões mínimos.

Além disso, as empresas estão em busca de profissionais que sejam ágeis e com facilidade de adaptação, justamente para acompanhar a velocidade do avanço tecnológico.

Produtividade afetada

Atualmente, o Brasil se encontra em um período de crise econômica e todos os setores estão focados em recuperar suas atividades.

Por conta desse cenário se torna ainda mais urgente a oferta de profissionais qualificados. Por enquanto, a grande ausência de trabalhadores para preencher as vagas existentes preocupa a indústria, visto que sem a mão de obra adequada, as companhias vêem sua produtividade afetada.

Dentre todos os segmentos industriais, o de Biocombustíveis é o que mais encontra dificuldade na hora da contratação, cerca de 70% das empresas desse setor não conseguem preencher suas vagas.

Logo em seguida é possível verificar a mesma dificuldade no setor de Móveis, Vestuário, Borracha, Têxteis e Máquinas e Equipamentos.

Dessa forma, é possível ter um panorama geral do problema causado pela falta de qualificação adequada dos profissionais.

Essa deficiência no mercado acaba gerando resultados ruins em praticamente todos os setores, visto que a dificuldade para preencher vagas ociosas permeia todos os tipos de empresas.

Veja Notícias

Veja Notícias

O Veja Notícias é um portal de variedades para leitores de todo o Brasil.

Outros artigos

Instagram: Como ganhar seguidores rápido

23 de março de 2021

Instagram: Como ganhar seguidores rápido

Atualmente, o instagram é a principal rede social. A plataforma tem mais de 1 bilhão de usuários ativos todo mês e 500 milhões de acessos diários. Só no Brasil, são...

Alcachofra: o que é e quais os benefícios

1 de julho de 2021

Alcachofra: o que é e quais os benefícios

Antes de tudo, a alcachofra (Cynara Scolymus) é uma planta que foi inserida no Brasil na metade do século 20. Trazida por imigrantes da Itália, a planta se parec...