Publicado por Veja Notícias no dia 29/07/2021 as 09:40

Você tem o sonho de fazer um curso superior na França? Então, saber como funciona o sistema de ensino na França é essencial, para você que pretende fazer uma parte ou todo o curso no país europeu. 

Vamos te explicar como é o ensino na França e quais são as ações que você deve tomar, caso tenha a intenção de estudar no país francês. Confira! 

Como se organiza o ensino superior na França? 

O ensino superior na França se divide em três grandes áreas: a licença, mestrado e doutorado. 

Para você conseguir entrar em um curso superior na França, saindo do ensino médio, você deve prestar uma prova denominada le baccaulauréat, que seria semelhante ao ENEM, no Brasil. 

Dependendo da área que você pretende seguir, existem três tipos de le baccaularéat: geral, tecnológico ou profissional. 

Em geral, o exame consiste em diversas provas escritas e orais e as notas dadas têm máximo de 20 pontos. 

Com isso, você tem acesso ao ensino universitário na França. 

Universidades francesas

Escolhido o curso, você terá a licença, que deve ser cumprida em 3 anos. Ou seja, os três primeiros anos do ensino superior na França são a licença. 

Uma informação importante é que o calendário na França inicia-se em outubro e vai até Janeiro. Depois de fevereiro até maio. Ou seja, nos meses de verão europeu, há as férias escolares. 

Os dois anos seguintes da licença são o Master 1 e Master 2. Mas, diferente do Brasil, o mestrado equivalente inicia-se no Master 2. 

Por isso, pessoas que já possuem o curso superior no Brasil e desejam ingressar no mestrado na França, podem entrar direto no Master 2, não precisando fazer o Master 1. 

Na França, o mestrado divide-se em Mestrado de Pesquisa ou Mestrado Profissional, o que seria, no Brasil, a divisão semelhante em Mestrado Acadêmico e Mestrado Profissional. 

No caso, o Mestrado Acadêmico é mais voltado para a pesquisa, assim como na França. Já o Mestrado Profissional procura aliar as necessidades das empresas com o que a universidade pode oferecer. 

De maneira geral, o master recherche deve ser escolhido para quem pretende seguir seus estudos no Doutorado, visto que é focado em pesquisa. 

Já o master profissionel tem maior parte prática, inclusive, com 6 meses de estágio obrigatório em alguma empresa. 

Por sua vez, o Doutorado tem duração de 3 anos e é necessária a elaboração de uma tese, bastante sólida, a qual deve ser apresentada e avaliada por uma banca de especialistas na área. 

Ensino na França: como se candidatar?

Existem diferentes maneiras através das quais você poderá estudar na França. 

Caso você tenha interesse no Mestrado, é necessário o curso superior no Brasil. Além disso, muitas instituições exigem a tradução juramentada do diploma e do histórico escolar. 

Você também precisará de uma carta de recomendação para a instituição que deseja. 

Lembre-se que você entrará no Master 2. 

Já para o Doutorado, o processo é semelhante, mas você precisa do diploma de mestrado e certamente seu currículo será analisado, sobretudo se a área de pesquisa for o seu interesse. 

Outra forma é você já estar no Mestrado em uma instituição no Brasil e fazer um processo de “sanduíche” em uma instituição francesa. 

De fato, o Doutorado sanduíche, por exemplo, é bastante estimulado pela CAPES, que é o órgão que fiscaliza e regulamenta os cursos de pós-graduação no Brasil. 

No caso do Doutorado sanduíche, o aluno inicia seus estudos em uma instituição brasileira, então passa até um ano na França, onde complementa seus estudos e retorna ao Brasil por no mínimo 6 meses, para a defesa da tese. 

Nesse caso, o aluno recebe uma bolsa para poder viver na França enquanto realiza seus estudos. 

Dicas para estudar na França 

Primeiramente, veja como está seu Francês. Essa é a primeira ação, portanto, se você ainda não tem bom conhecimento do idioma, está na hora de se matricular em um curso de Francês em SP

Dessa forma, você pode, inclusive, prestar uma prova de proficiência na língua, o que provará o seu real conhecimento no idioma e valorizará o seu currículo. 

Veja seu histórico escolar e seu diploma e entre em contato com a instituição escolhida. Algumas pedem a tradução juramentada, outras não. Então, ter a informação correta é essencial. 

De fato, a equivalência do diploma deve ser analisada para você saber em que ano poderá entrar e quais são as opções disponíveis. Há universidades públicas e privadas. 

Lembre-se também que há instituições nas quais há dormitórios no próprio campus, já outras não. Então, você vai precisar pensar onde vai morar e como vai se manter, se você vai tentar uma bolsa de estudos ou vai com recursos próprios. 

Todas essas informações são, de fato, essenciais para você que pretende concluir seus estudos na França. 

Veja Notícias

Veja Notícias

O Veja Notícias é um portal de variedades para leitores de todo o Brasil.

Outros artigos