Publicado por Veja Notícias no dia 16/06/2021 as 22:35

Quando os bebês deixam de ser tão pequenos e se tornam crianças é provável que os pais, acompanhando a faixa etária, queiram realizar algumas mudanças no quarto dele.

Nesta matéria vamos apresentar quatro dicas para decoração de quarto infantil que podem auxiliar nesse processo de transição.

Cores

É hora de ousar mais nas cores, tendo em vista que para quartos de bebês geralmente são seguidos o padrão “menina rosa e menino azul”.

Agora que as crianças já andam, brincam, possuem um contato visual maior com os objetos e acessam mais informações, é preciso pensam em qual é o estilo dessa criança.

Quais são os seus gostos até o momento? Suas preferências? Seus personagens preferidos? Músicas? E assim por diante.

Após identificar o estilo dessa criança, já temos uma orientação de por onde começar. Por exemplo, se a criança gostar muito do Capitão América, devemos começar a pensar nas cores azul e vermelho e suas variações.

Para identificar as variações do azul e quais tons harmonizam com a cor, podemos usar a paleta RBD.

O azul com o vermelho entrega um estilo náutico. Já quando o azul está em uma peça junto com o rosa, o objeto recebe a singeleza do rosa e a sobriedade do azul.

Agora, para os contemporâneos de plantão, nada como explorar a mistura azul com cinza. E por último temos o azul com o amarelo, quem escolher essa combinação deve tomar alguns cuidados, pois o amarelo, que entrega muita energia não pode se sobrepor ao azul, entretanto a combinação na medida correta deixa o ambiente bem interessante.

Para o vermelho como principal cor, há também muitas variações agradáveis. Entretanto é preciso ter cuidados, pois o vermelho por si só pode deixar o quarto da criança cansativo, por se tratar de uma cor quente e pesada.

Há muitas opções de cores para decorar o quarto de uma criança, o amarelo, verde e branco são exemplos de cores neutras, podendo ser usadas para ambos os sexos.

Se estendendo à suas variações, no caso do amarelo, tons terrosos como mostarda, bege e marrom, já no caso do verde, o musgo, verde água ou militar.

Vale lembrar que regras de cores não alcançam os papais e mamães de pensamentos mais livres, que pouco se importam se meninos vestem rosa ou se meninas vestem azul. Estes podem ousar ainda mais na escolha da cor para a decoração do quarto dos pequenos.

Ainda sobre a questão das cores, antes de iniciar o projeto de quarto ideal, seja para crianças ou até mesmo adultos, é importante estudar o círculo cromático de cores.

Nele é possível identificar as cores complementares, que são as opostas umas das outras, as cores análogas, que são as conhecidas como “tom sobre tom” e as triangulas, que são as que triangulam entre si.

Roupagem

O quarto deve se “vestir” de acordo com o proposto no projeto de cores. Por isso, o lençol, a colcha, as fronhas, os tapetes e a cortina devem ser muito bem pensados.

O que não quer dizer que precisam ser necessariamente da mesma cor, mas devem seguir o padrão das cores complementares por exemplo.

Uma cortina amarela e uma colcha lilás é um bom exemplo. Ou roupas de cama verdes e cortinas brancas. Use a criatividade!

Objetos

Quando se trata de criança tudo pode acontecer, inclusive as cores dos brinquedos não terem nada a ver com as cores da decoração.

Seria muito cruel impedir uma criança de ter um determinado brinquedo pelo simples motivo de não ornar com a decoração do quanto dela não é mesmo?

Para resolver a questão dos brinquedos é importante criar um espaço, mesmo que pequeno, destinado a eles, como uma brinquedoteca.

Esse espaço pode ser um baú –que segue as cores escolhidas para o quarto- uma prateleira, ou até mesmo um cercadinho. Esse será o espaço para a diversão, lembre-se que a hora da alegria de uma criança, é uma hora sagrada.

Estrutura

Um quarto precisa ser bem estruturado para receber todos os pertences da criança, entre eles, roupas e calçados. Para que isso não fique espalhado pelo quarto, certifique-se se o tamanho de guarda roupa ou cômoda que você vai escolher será suficiente para guardar tudo o que precisa.

Não se esqueça do canto da leitura. É preciso nichos ou prateleiras para acomodar as revistas em quadrinhos, os livros de contos clássicos infantis e demais livros que a criança goste de ter por perto, sempre tem alguns preferidos.

Um móvel ao lado da cama é sempre bom para abrigar uma luminária ou abajur, além de um copo com água para o caso da criança sentir sede durante a noite e até mesmo algum brinquedo de maior estima que o pequeno goste de dormir olhando.

 A propósito, a iluminação é muito importante, principalmente para os que estão “se mudando” do quarto dos pais, para os eu próprio espaço. Por isso, enfeites neon espalhados pelo teto e paredes, luminárias coloridas são bem vindas para um primeiro momento, tudo o que possa tornar o “cantinho” interessante para a criança.

No mais e antes de tudo quem precisa se sentir bem e acolhido em seu próprio quarto é a criança. Vale consulta-la sobre suas preferências, eles já tem personalidade, acredite nisso.

Veja Notícias

Veja Notícias

O Veja Notícias é um portal de variedades para leitores de todo o Brasil.

Outros artigos